O que tocou hoje?

Você voltou a ser criança nesta segunda!

Você voltou a ser criança nesta segunda!

Nesta segunda-feira, tivemos um Bandejão muito especial. Rolou um bloco especial com o dia das crianças, além do último Alfabeto do Rock feito por Rafael Moura. Esperamos que você tenha se divertido bastante durante a nossa programação. Qualquer dúvida ou sugestão, não dê mole: fale conosco! Confira o que tocou!

1º Bloco – Volte a ser criança!

Ouça como foi este primeiro bloco

Trem da Alegria – Pra ver se cola

Angra – Pegasus Phantasy (tema do Cavaleiros do Zodíaco)

Cássia Eller – A cuca te pega

Luciano Nassyn – Piuí Abacaxi Uni Duni Tê He Man

Cid Guerreiro – Tindolelê

Balão Mágico – Super Fantástico

Raul Seixas – Carimbador Maluco

2º Bloco

Wilson Simoninha – Bebete Vãobora

Jack Johnson – If I had eyes

Moinho da Bahia – Esnoba

Bob Marley – Could you be loved

Biquíni Cavadão – Vento ventania

Paralamas do Sucesso – O Beco

Nando Reis & Os Infernais – Marvin

3º Bloco

NOFX – Don’t call me White

Dropkick Murphys – I’m shipping up to Boston

Iron Maiden – Fear of the dark

AC/DC – Black Ice

Twisted Sisters – I wanna rock

The Clash – London  Calling

4º Bloco – Alfabeto do Rock – Clipes que marcaram

Ouça o último Alfabeto do Rock

Neste último Alfabeto do Rock, o tema foi “Clipes que marcaram”. Cada música marcou o mercado fonográfico e, consequentemente, o audiovisual de forma diferente. Para não alongarmos na explicação, sugerimos tais leituras para saber sobre Jeremy, Bohemian Rhapsody, Californication e Sabotage.

Saindo do nós, eu, Rafael Moura, gostaria de agradecer a todos que ajudaram neste projeto curto, mas muito legal de ser feito, que foi o Alfabeto. O apoio de cada ouvinte valeu muito a pena. De coração, fica o meu muito obrigado!

Pearl Jam – Jeremy

Queen – Bohemian Rhapsody

Red Hot Chili Peppers – Californication

Beastie Boys – Sabotage

Anúncios

O que tocou hoje?

Ouviram do Ipiranga às margens...

"Ouviram do Ipiranga às margens..."

Neste 7 de setembro, o Bandejão só foi de música nacional. Portanto se você acompanhou o programa, poderá saber quais foram os brazucas que apareceram na programação. Ainda teve o Alfabeto do Rock feito por Rafael Moura. Confira a playlist.

1º Bloco

Projeto Feijoada – Confissões de um caixa da padaria

Simoninha – Homem de gelo

Nando Reis & Os Infernais – O Mundo é Bão, Sebastião

Titãs – Quanto Tempo

Ultraman & O Rappa – Dívida

Mombojó – Deixa-se acreditar

Skull Bus – O tempo

2º Bloco

Maestro Pestana – Corpus Juvene

Ultraje a Rigor – Nós vamos invadir a sua praia

For Fun – Sol ou Chuva

Solana – Para tua mulher quando te casares

Pedra Letícia – Eu não toco Raúl

Pedra Letícia – Em plena Lua de Mel

Pedra Letícia – Teorema de Carlão

3º Bloco

Biquini Cavadão – Vento Ventania

Zé Ramalho – Batendo na porta do céu II

Los Hermanos – O Vencedor

Perdidos na Selva – Amante Profissional

Velhas Virgens – Hino dos solteiros

Motorocker – Igreja Universal do Reino do Rock

Os Pedrero – Menudo Capixaba

Matanza – Eu não bebo mais

4º Bloco – Alfabeto do Rock – Rock Brasileiro

Ouça o Alfabeto do Rock

No último Alfabeto do Rock, fomos até a letra F ao falar do Rock com a influência dos negros. Aproveitando o mote deste 7 de setembro, eu (Rafael Moura) resolvi abordar um pouco da participação dos brasileiros no rock a partir da letra G.

Papai Noel, Velho Batuta!

A letra G ficou por conta dos Garotos Podres. No início dos anos 80, os então guris se inspiraram no punk e temas como violência e capitalismo se tornaram frequentes, afinal o ABC paulista, onde moravam, era o coração da produção industrial brasileira e concentrava as principais manifestações e movimentações trabalhistas na época. Mau, Mauro e Sukata ganharam destaque no cenário paulista. Músicas como Papai Noel Velho Batuta ainda ficam no imaginário daqueles que fazem o punk rock no país e foi com ela que abrimos o quarto bloco.

O líder dos Paralamas do Sucesso

Mesmo depois de ter sofrido um sério acidente que vitimou a esposa, Herbert Vianna ainda contribui muito para a música brasileira. Mas antes de tal tragédia acontecer, em 1982 os Paralamas começaram a conhecer o sucesso. Após a ausência de Vital, o primeiro batera da banda, em um show, João Barone assumiu as baquetas. A falta de Vital inspirou para que Vianna escrevesse uma música sobre o assunto. A canção se tornou um grande sucesso que comprovou a competência de Herbert Vianna. Vital e sua moto foi a segunda música do bloco.

Tchau, tchau, IRA!

Tchau, tchau, IRA!

A letra I ficou com uma banda que já terminou. Briga e ameaça de morte entre irmãos, além da falta de entendimento entre os integrantes fez com que o IRA! terminasse em 2007. O nome da banda foi inspirado no Exército Republicano Irlandês. Os caras conheceram a fama durante o meio dos anos 80 com canções como Envelheço na cidade e Flores em você. Na década de 90, eles se perderam com estéticas que nada tinham a ver com o grupo. Mas aqui, nós lembramos de um clássico do IRA. Para aqueles que nunca quiseram ir para o exército, vamos ouvir Núcleo Base.

O rock humorístico do Brasil: Joelho de Porco

Talvez, o Joelho de Porco tenha sido o grupo precussor do punk-rock no Brasil. As letras humorísticas sempre fizeram parte do repertório da banda. Além disso, temas do cotidiano invadiam as canções do grupo. Trombadinha, Se Você vai de Xaxado eu vou de rock and roll, Homem do Imposto de Renda, Golden Acapulco, Um trem que passou por aqui foram alguns dos sucessos da banda, mas ouvimos no Alfabeto do Rock “Feijão com Arroz”.

A galera do Faroeste Caboclo

A galera do Faroeste Caboclo

L é de Legião Urbana.  O grupo do saudoso Renato Russo se apresentou no Circo Voador, palco que revelou diversas bandas, e de lá já arranjou um contrato com a gravadora EMI. Dado Villa-Lobos e Marcelo Bonfá juntamente com Russo trilharam o caminho do triunfo durante toda a metade dos anos 80 e início dos anos 90. Bora lembrar dos caras com Eduardo e Mônica.

Ela foi minha menina

"Ela foi minha menina"

Os então jovens Sérgio Dias, Arnaldo “O Lóki” Baptista e Rita Lee trouxeram a psicodelia ao Brasil em 66 e se tornaram desde de aquela com um dos grupos de vanguarda do rock brasileiro e mundial. A grande contribuição dos Mutantes foi o auxílio à formação de um rock com traços mais da Terra Brasilis. Fomos de Top Top neste bloco.

Novos Baianos?!

Entre os anos 60 e 70, a MPB se confundia com o rock no país. Tal época foi marcada por um enorme hibridismo, misturas e experimentações. Os Novos Baianos foram um exemplo disso. Tocaram desde o afroxé ao rock. Os Novos Baianos foram responsáveis por uma formação de uma música brasileira mais encorpada. De Pepeu Gomes, Moraes Moreira e Baby Consuelo, tocamos Brasil Pandeiro – porque, afinal, temos que saber as raízes de nossa música.

Formação das antigas de O Rappa

Formação das antigas de O Rappa

Para terminarmos o Bandejão com chave de ouro, O Rappa foi a banda escolhida com a letra “O“. De início basicamente reggaereiro, o grupo foi ganhando diferentes feições com o passar do tempo. Até hoje, eles não sabem ao certo qual é o estilo de música que fazem, entretanto, os críticos dizem que é rock. O Rappa é caracterizado por músicas de cunho social e o engajamento não fica apenas nas letras, mas sim em projetos de caridades desenvolvidos em comunidades menos favorecidas do Rio de Janeiro. O que sobrou do céu foi a última música do Bandejão de 7 setembro.

O que tocou hoje?

No dia do skate, lembramos também de bandas que fazem parte deste estilo de vida no segundo bloco!

No dia do skate, lembramos também de bandas que fazem parte deste estilo de vida no segundo bloco!

Ah, a segunda-feira. Como já diria o mestre Chico Buarque: “Eu faço samba e amor até mais tarde e tenho muito sono de manhã”. Para ajudar você nesse suplício deste tão mal falado dia, o Bandejão vem com uma bela programação para te levantar. Hoje quem comandou o programa foi Rafael Moura que trouxe mais uma edição do Alfabeto do Rock. Confira o que rolou.

1º Bloco

Simoninha – Homem de gelo

Crivo – Munda voltas

Nando Reis – Mosaico abstrato 2

Mombojó – Deixa-se acreditar

O Rappa – O que sobrou do céu

Maestro Pestana – Corpus Juvene

2º Bloco

Yes – Owner of a lonely heart

NOFX – Don’t call me white

Charlie Brown Jr – Samba Makossa

Blink 182 – What’s my age again

Sum 41 – What we’re all about

Ira! – Envelheço na cidade

Ponto de Equilíbrio – Velho amigo

3º Bloco

Seu Cuca – Onde você estiver

Bob Marley – Bad Boys

Proxy* – A última dança

Black Sabbath – Paranoid

Dropkick Murphys – Fields of Athenry

Nirvana – Breed

Foo Fighters – Everlong

4º Bloco – Alfabeto do Rock

Hoje rolou mais um Alfabeto do Rock e o tema do dia foi: o rock e a influência dos negros. Como Mike Figueiredo falou na última quarta-feira durante o Pipoca na Panela do filme “Honeydripper“, esse estilo de música muito tem a ver com o Blues e com o Jazz, gêneros musicais cuja influência negra foi marcante. Vide exemplo de B.B King.

Walk this way!

Walk this way!

A década de 80 foi a década perdida para o Brasil e para o Aerosmith também. O abuso de drogas por parte dos integrantes e os discos fracos afundavam cada vez mais a banda. Foi então que em 1986 eles fizeram uma parceria inusitada com os caras do Run DMC. Os rapazes de tênis largos, calças jeans, casacos, cordões de prata e chapéus característicos ajudaram a alavancar o Aerosmith de volta à fama. Walk this way se tornou um clássico do Rap com o Rock e vice-versa.

A primeira banda de rock formada por negros

A primeira banda de rock formada por negros

Já imaginou uma galera fazendo rock’n roll de black power? Pois é, foi o que o Black Merda (pronuncia-se “Murder”) fez. Fãs de Jimi Hendrix, eles batalharam bastante para lançar os álbuns da banda. Muitos dos integrantes inclusive serviram de músicos de apoi para a gravadora Motown. No Bandejão de hoje, você ouviu The Prophet. Depois deles, o Living Colour foi o outro grupo negro de rock que conseguiu mais expressão. Cult of Personality é a canção mais famosa deles.

Chuck Berry

Chuck Berry

Dizem que ele é o verdadeiro Rei do Rock. Chuck Berry é um dos guitarristas lendários. Além de ser um exímio instrumentista, ele também registrou vários sucessos. Músicas (e os reefs clássicos) como Johnny B. Goode, Memphis, Tenessee, entre outras marcaram e ainda marcam a carreira deste cantor. Apesar de sua adolescência conturbada com passagens por reformatórios, ele conseguiu se “regenerar” e trouxe pra nós no Bandejão o sucesso Route 66.

A voz do Sepultura

A voz do Sepultura

Tudo bem que o Sepultura foi fundada por dois branquelos, os irmãos Cavalera, mas não podemos tirar os méritos de Derrick Green. Green é dono de um vocal poderoso e muito contribuiu para uma certa mudança no estilo do Sepultura. Até em comerciais e pockets shows, o americano se arrisca a cantar – acreditem! – Bossa Nova. O atual vocalista do Sepultura chegou ao grupo depois de mandar uma fita VHS que demonstrava que ele podia ser o frontman. Bullet the blue sky foi a pedrada do Alfabeto.

Tremendão

O que Erasmo Carlos faz aí? Bom, primeiro ele foi influenciado por Elvis Presley que por mais branco que fosse, foi tomado pela cultura negra na forma de dançar. Depois, o movimento da Jovem Guarda foi muito influenciado pelo Soul, Toni Tornado era um exemplo disso. Erasmo adotou o “soul way of life” durante a década de 70 e incorporou também na sua musicalidade que pode ser vista até hoje. Em A guitarra é uma mulher, do último disco de Erasmo (Rock’n Roll), podemos ver o rock de raiz com uma pitada de Blues.

Ooooh, Foxy Lady

Ooooh, Foxy Lady

A letra F não de um artista mais sim de uma música de um artista. Foxy Lady é uma das canções ícones de Jimi Hendrix com o The Jimi Hendrix Experience. Uns dizem que Hendrix escreveu essa música para a então namorada Kathy Etchnigam, outros dizem que ela foi escrita para todas as mulheres. O que importa é que Foxy Lady foi a música que fechou o Alfabeto do Rock com o tema de os negros e o rock.

O que tocou hoje?

Música nova do Nando Reis como destaque no Bandejão!

Música nova do Nando Reis como destaque no Bandejão!

E começou a semana. E pra sua alegria, o Bandejão vem pra animar a sua hora do almoço. Nesta segunda, tivemos a estreia do quadro: Alfabeto do Rock, com o melhor do rock mundial. Vamos conferir o cardápio do dia feito por Rafael Moura?

1º Bloco

Jorge Benjor – Fio Maravilha

Nando Reis – Só pra So

Rita Lee – Agora só falta você

Skull Bus – O tempo

Men at Work – Down Under

2º Bloco

Senor Coconut – Beat it

Social Distortion – Billy Jean

Alien Ant Farm – Smooth Criminal

Eminem ft Dido – Stan

Sublime – Badfish

3º Bloco

Paralamas do Sucesso – Que país é este?

O Rappa – Meu mundo é o barro

REM – It’s the end of the world as we know it

Ultraje a Rigor – Eu não consigo deixar de te amar

Perdidos na Selva – Amante Profissional

Foo Fighters – Best of you

4º Bloco – Alfabeto do Rock

Ozzy Osbourne – Mr. Crowley

Pearl Jam – Brother

Queens Of The Stone Age – No one knows

Red Hot Chili Peppers – Give it away

Sex Pistols – Rock Around The Clock

Velhas Virgens – Zona

  • Agenda

    • outubro 2017
      S T Q Q S S D
      « maio    
       1
      2345678
      9101112131415
      16171819202122
      23242526272829
      3031  
  • Pesquisar